“É um cenário hostil para qualquer governo. O que precisamos ver é qual será a reação do governo a isso. O presidente diz o seguinte: ‘se não for eu, a eleição é fajuta’. Será que ele vai em frente? O temor é que isso abra a possibilidade de uma crise institucional e um problema mais sério no campo político”, afirmou o economista Affonso Celso Pastore.

Pastore é doutor em Economia pela Universidade de São Paulo (USP). Foi professor da USP, Insper e Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em 1968, integrou a delegação do governo brasileiro na reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington (EUA). Foi, ainda, secretário da Fazenda do Estado de São Paulo e presidente do Banco Central do Brasil, entre 1983 e 1985.

Ainda segundo Pastore, o real vai sentir o baque:

“Há algum tempo eu tenho dito que a tendência do real é ficar fraco e tem operador de banco, que ganha dinheiro em cima disso, que defende para os seus clientes que o real vai se valorizar.  O interesse dele é o bônus, o cara engana a si mesmo e depois toma um susto, aí já é tarde. Não estou dizendo que o real vai ficar fraco porque sou malévolo. Eu estou falando porque estou vendo o risco, pipocas! Não estou interessado em vender um produto falso, mas em olhar as coisas como eu vejo.”

Fonte: O Antagonista / Foto: Divulgação B3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s